Castrar é cuidar

304794_361327723943466_1750566660_nNos últimos dias, muito tem se falado sobre a castração. De acordo com a lei do vereador Roberto Trípoli número 14483/07 é obrigatório doar animais castrados na cidade de SP.

Essa lei visa diminuir o abandono, pois um animal sem castração pode procriar a cada cio originando milhares de outros animais. 

Você pode achar isso um exagero, já que teoricamente, um animal doado tem um dono que controlaria essa reprodução desenfreada, porém na prática não é o que acontece.

O animal doado pode fugir, por exemplo, acabar na rua e começar a procriar. Quantos filhos um macho só, pode fazer cruzando com uma porção de fêmeas! Fêmeas no cio soltas na rua então, são um grande problema. Você já pensou no sofrimento dessas coitadas? Dar a luz na rua também é muito triste. Se o parto tiver qualquer complicação não há ninguém para socorrê-las. Muitas morrem e muitos filhotes acabam morrendo também. As que sobrevivem tem que amamentar uma ninhada inteira e ainda procurar restos no lixo para se alimentar. Ficam magras, doentes, anêmicas, sem nenhum conforto ou cuidado durante uma fase que teriam que ter uma alimentação reforçada e também um abrigo seguro. Além disso, ainda estão expostas à crueldade humana. Muitas ninhadas morrem de fome, pois a mãe é atropelada, ou morta de forma violenta enquanto procura comida. Quando começam a andar, filhotes não têm noção de perigo. Caem em bueiros, buracos, são atropelados, se perdem, além de estarem expostos a todo tipo de maldade. Se sobreviverem a tudo isso, em 6 meses essa fêmea começará um novo ciclo e em  breve seus filhotes começarão novamente a procriar gerando mais abandono e sofrimento.

Mesmo que o cão doado nunca saia na rua, o objetivo da castração também é diminuir a população de animais. Você pode achar bonitinho cruzar seu cãozinho e depois sair por ai doando os filhotes. Seria muito mais legal, se você ao invés de permitir que mais animais fossem colocados no mundo, ajudasse a encontrar um lar para os que já existem. É urgente diminuir a população de cães abandonados. Os Abrigos e ONGS estão super lotados, muito acima da sua capacidade! Então, ao invés de cruzar seu cachorro, que tal dar uma chance para aqueles que já nasceram e que estão abandonados à própria sorte?

Se mesmo assim, esses argumentos não tem convenceram, saiba que a castração também é boa para a saúde do seu animal. Muitas pessoas têm uma visão equivocada sobre isso. Castrar não é judiar. Castrar não é fazer mal. A castração reduz o risco de várias doenças, principalmente câncer. A fêmea depois de castrada não sangra mais a cada ciclo, o que é muito bom para a convivência do animal dentro de casa. Um macho castrado também tem comportamento mais calmo e geralmente é mais higiênico.

A castração pode ser feita mesmo em filhotes, sem ocasionar problemas futuros, desde que seja feita por profissionais qualificados e em ambiente esterelizado e equipado para a cirurgia.

O Quintal da D Silvia, parceira do Cão sem Fome acolheu cerca de 50 filhotes abandonados nos últimos três meses. Todos estão sendo doados castrados. Essa é a nossa garantia que esses animais não irão procriar, nem gerar mais e mais abandono, afinal esses tiveram a sorte de encontrar a gente no caminho, mas nem todos abandonados tem a sorte de serem resgatados. Pense nisso!

Os peludos abaixo, assim que castrados, irão para adoção.

Ajude-nos a divulga-los ou ajude-nos a cuidar deles, doando vacinas e ração no nosso site.

Fusilli

Fusilli

Canelone

Canelone

Porpeta

Porpeta

Spaghetti

Spaghetti

Mande um email para rosecaosemfome@hotmail.com

Equipe CSF

This entry was posted in D. Silvia. Bookmark the permalink.