Mais abandono no Quintal da D Nilza

Neste sábado três voluntários do Cão sem Fome, Murilo, Olivia e Thainá, foram abastecer o Quintal da D Nilza com 300 Kg de ração para cães e 100Kg de ração para gatos.

Chegando lá se depararam com 5 novos acolhimentos:

  • O Brutus, um cão idoso que morava há 2 anos em um ponto de ônibus e estava ameaçado pela vizinhança. A D Nilza resolveu acolher o idosinho, que está bem magro e com certeza não ia aguentar o inverno que se aproxima naquelas condições precárias. Assim que chegou, Brutus já se apoderou de uma casinha só para ele e não deixa nenhum outro cão se aproximar, além de comer vários pratos de comida para matar a fome que passou.
  • Outro acolhimento foi a Pedrita, uma cachorrinha preta de pequeno porte, pele e osso, em um grau de desnutrição que nem levantava mais. A Protetora a encontrou voltando do serviço, colocou em uma sacola e trouxe para casa.
  • Também foi acolhida uma mãezinha, em vias de dar à luz, cujo tutor disse que “já tentou levar para longe, mas como ela sempre volta, o remédio é dar chumbinho para matar”. Sim, é com esse tipo de gente que nossos Protetores lidam no dia a dia. A Protetora pegou a cachorra e agora está sob nossos cuidados, para ter seus filhotes em segurança.
  • O último acolhimento foi de dois irmãozinhos brancos e peludos, que foram jogados por cima do muro no Quintal da Protetora. Infelizmente a fama de um Protetor de animais corre rápido na redondeza e pessoas que querem se livrar dos seus animais acabam chegando até eles.

Novos animais necessitam de cuidados diferentes. Todos passaram em consulta veterinária e foram medicados. Terão que ser castrados, vacinados, mas de imediato era necessário providenciar abrigo para eles.

Sendo assim, em caráter de emergência, no domingo a fundadora do Projeto Glaucia e o voluntário Léo voltaram ao Quintal trazendo uma quota extra de ração, cobertores recém doados e casinhas para abrigar os peludos.

Como deixar os animais dormirem ao relento? Como não levar cuidados veterinários para cães tão debilitados?

O nosso trabalho é assim, sempre sujeito a imprevistos. A dedicação é grande e em período integral para tentar diminuir o abandono e o sofrimento desses animais. As emergências que aparecem não podem esperar e acabam atropelando a vida particular dos voluntários que se desdobram para atender os cães necessitados.

A necessidade é sempre maior que os recursos e os maus tratos e o abandono crescem a cada dia, por isso sua ajuda é muito importante. Ajude o Cão sem Fome a continuar ajudando! Faça uma doação pelo nosso site, clicando no botão que se encontra do lado direito. Os peludos agradecem!

This entry was posted in D. Nilza. Bookmark the permalink.