Como tudo começou…

Era o ano de 2004 quando a professora e escritora Glaucia Lombardi, sempre engajada em várias causas sociais, procurava agora uma forma de atuar na Proteção Animal, devido a sua paixão por cachorros. Depois de uma viagem de trabalho ao sertão nordestino, onde conheceu de perto a fome e a sede, muito sensibilizada com a morte de tantos animais à míngua, decidiu ao voltar para São Paulo que iria se dedicar a dar comida para cães abandonados.

Apesar de ser uma ideia simples, essa não se mostrou uma tarefa tão fácil, pois não havia ONG nenhuma focada em alimentação, para ela se dedicar.

Foi então que Gláucia conheceu a atuação dos Protetores de Animais, pessoas simples que moram nas periferias, em áreas de extremo abandono e maus tratos e que socorrem animais carentes com seus próprios recursos. Depois de conhecer de perto a realidade de um deles, foi um pulo para as ideias clarearem e ela descobrir que era isso que realmente desejava fazer: Ajudar quem já ajuda! 

Os Protetores de Animais estão presentes em toda a parte, mas são invisíveis para toda uma sociedade. Muitas vezes confundidos com Acumuladores de Animais, enfrentam o preconceito, a escassez de recursos e a falta de reconhecimento do poder público. Não existe uma estatística de quantos são, mas praticamente em todos os bairros há um Protetor, que recolhe, trata e cuida de animais maltratados e abandonados. Os cães acolhidos por Protetores superam em muito ao acolhimento realizado pelos CCZ e ONGS, e tudo na informalidade.

Quando Gláucia conheceu o problema mais de perto percebeu que dar a esses Protetores a estrutura que eles necessitavam para melhorar o trabalho que já realizavam com amor, beneficiaria centenas de animais.

Foi assim que começou uma Campanha para arrecadar ração para o primeiro “Quintal” do Projeto. O nome “Quintal” foi escolhido para diferenciar o acolhimento de um Protetor, do acolhimento de uma ONG, já que literalmente os animais vivem nos quintais das casas dos Protetores.

No início eram atendidos pouco mais de 40 cães, sustentados pela Glaucia com recursos próprios e ações entre amigos, mas a necessidade batia à porta a cada dia e começavam a surgir apelos de vários lugares. Após uma ação de reintegração de posse, esse primeiro Quintal acolheu mais de 70 animais em um só dia e a Glaucia entendeu que era hora de expandir esse trabalho e transforma-lo em um Projeto.

O objetivo era criar um elo entre “quem quer ajudar e não sabe como”, com “quem precisa de ajuda e não sabe para quem pedir”. Para continuar esse trabalho, Glaucia foi procurando parceiros durante esses anos e mais voluntários se uniram a essa causa, formando uma grande corrente do bem, unindo pessoas de boa vontade que doavam o que podiam: Conhecimento, tempo, dinheiro e ração para quem mais precisava. A iniciativa desse grupo virou o Projeto Cão Sem Fome.

Já eram 2 Quintais e 120 animais atendidos, quando se percebeu que só comida não era suficiente. Os animais necessitavam de vacina, cuidados veterinários e castração. Em pouco tempo se formava uma equipe de veterinários e assistentes voluntários que faziam visitas aos Quintais, colocando a saúde de todos em dia. Para combater a superlotação e o acúmulo de animais, foi formado um grupo focado na adoção, para dar uma chance de vida melhor aos cãezinhos e não permitir que os Protetores se tornassem Colecionadores de Animais.

Percebeu-se também que os Protetores viviam em estado de muita vulnerabilidade e começaram ações para melhorar a vida deles, com distribuição de cestas básicas, remédios, apoio jurídico, previdenciário e reforma nos imóveis. Tudo realizado por voluntários e com doações revertidas totalmente aos animais necessitados.

Passados quatorze anos daquela data o Cão sem Fome atende mensalmente 500 animais, distribui quase 50 toneladas de ração por ano e comemora o sucesso de centenas de animais doados que ganharam famílias de verdade.

E foi assim que começou uma história permeada de muita boa vontade e ações propriamente ditas, as quais o Projeto Cão Sem Fome pretende continuar realizando e ampliar cada vez mais sua atuação em prol de uma causa justa!

Ajudem o Projeto Cão Sem Fome a continuar ajudando!

Participe da Campanha de Apadrinhamento, informe-se sobre outras formas de ajudar os cães assistidos pelo nosso Projeto! Divulgue nosso trabalho!

Os cães agradecem!